Como iniciar uma confraria

A primeira fase de uma confraria é a oração. Aquele que pretende começar uma confraria deve primeiramente estar participando de uma. Ninguém deverá por conta própria iniciar uma confraria sem a autorização expressa do pastor. Após este período de oração, o candidato deverá conversar com seu líder ou com o anfitrião. Este conversará com o pastor e juntos tomarão a decisão.

O novo líder deverá seguir as seguintes etapas:

1
Convergir Expectativas
Ao iniciar-se uma confraria, logo na primeira reunião, o líder deve explicar aos confrades o que é e como funciona uma confraria. Cada confrade precisa saber qual é a dinâmica da reunião e o que se espera dele. Além disso, é bom esclarecer-lhes sobre o que não é uma confraria para que ninguém tenha expectativas erradas.
1
Estabelecer o alvo

Na segunda reunião, o líder deve expor de forma bem clara, os objetivos da confraria: comunhão, edificação, serviço e multiplicação. Também deve ser conversado acerca das metas a serem alcançadas pela confraria em termos de crescimento. Quando os membros da confraria são previamente informados sobre os objetivos, uma de duas coisas acontece: ou eles se comprometem e se motivam mais, ou abandonam o grupo.

1
Reafirmar a visão da Igreja
Cada membro da confraria precisa ver a igreja como parte do Corpo, a confraria como parte da igreja e, ele próprio como parte da confraria. Aí está a razão de nossa existência. Por isso, reafirmamos: O nosso crescimento espiritual depende de três coisas: compromisso, relacionamentos e disciplina. Sem compromisso e sem alianças não podemos edificar verdadeiramente a Igreja. Sem compromisso mútuo, a confraria não pode existir. Mostramos nosso compromisso com Deus, quando temos compromisso com os nossos irmãos.

Residências, empresas, escritórios, escolas, salões de festas, em qualquer lugar onde haja um mínimo de silêncio e privacidade.

A confraria se reunirá regularmente. É importante uma constância. Não basta ter um lugar de reunião, é preciso que o grupo se reúna numa base regular, semanalmente. Nenhum relacionamento sólido e gratificante pode ser construído sem convivência. É a convivência que vai produzir vínculos de amor, de amizade e de aceitação.
O líder da Confraria ou anfitrião será responsável pela condução da reunião assim como pastoreará os confrades que estiverem em sua confraria.
Ao participar de um grupo social, seja ele qual for, o que nos aproxima são nossas características gerais e peculiares, nos sentimos muito mais à vontade para compartilhar num grupo de “semelhantes”. As semelhanças podem ser: faixa etária, profissionais de determinada área, necessidades comuns e afinidades diversas.
Simplesmente por uma questão física. Se o objetivo é discipulado, edificação, comunhão, etc, seria impossível fazê-lo com um número muito grande de pessoas. Certamente viraria uma igreja e este a princípio não é o objetivo das confrarias. O tempo seria um fator limitante para muita gente reunida. Dificultaria o compartilhamento, a ministração, etc. A limitação do espaço das casas seria um outro fator.
O líder/anfitrião receberá do líder das confrarias o estudo a ser ministrado.

Sim. Nos momentos de confraria você pode seguir um modelo bem básico, como o que se segue:

1. Introdução ou ambientação (“quebra-gelo”)

2. Louvor e adoração
3. Edificação na Palavra
4. Compartilhamento
5. Oração pelas necessidades
6. Comunhão
7. Apelo evangelístico

1. Coloque as cadeiras em forma de círculo

2. Apresente os visitantes, quando houver
3. Utilize-se de alguma forma de ambientar a todos
4. Testemunhe alguns motivos de louvor
5. Ministre a Palavra para aquela reunião
6. Facilite a conversa no compartilhamento
7. Compartilhe a “visão do grupo”
8. Ore pelas pessoas necessitadas
9. Faça um apelo para salvação
10. Termine com um lanche, caso julgue necessário

WhatsApp chat