Devocional FCP 2022 - Dia 05

Devocional FCP 2022 - Dia 05

Já estou cheio de me sentir vazio


“Estando cheios de toda a iniquidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade.
Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães.” (Rm 1:29-30)


Existe uma música do cantor Renato Russo em que ele destaca uma ambiguidade linguística de difícil compreensão. Ao afirmar “já estou cheio de me sentir vazio”, Renato Russo aponta para uma necessidade humana de preenchimento do Ser, de forma que tal necessidade se constitui de tudo aquilo que não é o Ser e como resultado o vazio enfadonho. 
É um engano portanto apontar que a humanidade está vazia, uma vez que o vazio compreenderia à um grande vácuo, logo, não é nosso caso. Acredito que a humanidade está na verdade distante da vontade de Deus e como consequência, entramos em uma crise de identidade, mal diagnosticada como vazio. 
Como contraponto, Paulo nos versículos 29 e 30, aponta que estamos cheios!  Em Mateus 12: 34 e 35, Jesus nos mostra que não existe vácuo espiritual, mas um preenchimento de maldade no coração que é exposto por ações e fala dos homens. Vivemos um distanciamento de Deus, que provoca ações e palavras cheias de pecado.  
Ao ignorarmos esse fato, acreditamos que estamos vazios, e tentamos preencher isso com mais pecado, como um vício que dá uma sensação de saciedade, nos distanciamos do Reino, relativizamos a ação do Espírito e nos tornamos apenas ouvintes da palavra. 


Conclusão:


O Distanciamento de Deus nos transforma em ouvintes vip’s, sommelier de palavras e críticos de culto.